RECEBA ATUALIZAÇÕES DO BLOG VIA EMAIL

quarta-feira, 10 de novembro de 2010


CAIXA PRETA APRESENTA:
MÃE CORAGEM
EM PORTO ALEGRE
14/11/10



Mãe Coragem, de Brecht, com o Grupo Caixa Preta
(Porto Alegre, RS)


Mantendo sua tradição no uso dos elementos da cultura afro-brasileira, o Grupo Caixa-Preta estreia nova montagem inspirado livremente na obra de Brecht, inova no estilo de encenação e traz a Porto Alegre renomado diretor colombiano

O Grupo Caixa-Preta realiza, neste domingo, dia 31 de outubro, a segunda apresentação da temporada de estréia de seu mais novo trabalho: o espetáculo de rua “Mãe Coragem”, livremente inspirado na obra “Mãe Coragem e seus filhos”, do destacado dramaturgo e encenador alemão Bertolt Brecht (1898-1956). A apresentação será às 17h, no Quilombo dos Alpes, em Porto Alegre. No elenco, estão: Diego Neimar, Gil Colares, Lucila Clemente, Ravena Dutra, Rielle Dutra, Silvia Duarte e Silvio Ramão. A montagem tem a direção cênica do colombiano Javier Moná Lapeira, especialmente convidado para dirigir esta encenação.

Esta proposta foi vencedora do I° Prêmio Nacional de Expressões Culturais Afro-brasileiras, iniciativa do Centro de Apoio ao Desenvolvimento Osvaldo dos Santos Neves e Fundação Palmares, instituição vinculada ao Ministério da Cultura, com patrocínio da Petrobras.

Em seu novo trabalho, o Caixa-Preta se lança a novos desafios: trabalha com um novo diretor e investiga um outro espaço de encenação, a rua. A experiência com Javier Moná propiciou a pesquisa e a investigação em outro estilo de interpretação: o do distanciamento crítico, proposto por Brecht, em seu famoso método. “Trabalhei com o método de Brecht, mas mantive a pesquisa baseada nos elementos da cultura afro-brasileira, explica Javier Moná. “Minha principal preocupação foi garantir o espírito brechtiano, que defino como um teatro para quebrar esquemas”.

Neste sentido, tudo começará com a relação com o público, que não será convencional. “É no teatro de rua que nascem as grandes mudanças. Trata-se do grande teste para o ator”, avalia. A concepção brechtiana tem muito a ver com o teatro de rua. “No teatro de rua, a nudez da peça é muito maior que em um espaço convencional. A rua deixa claro que a encenação não pretende criar uma ilusão, mas se propõe a criar uma experiência real”.

“Nosso trabalho está focado em quebrar a possibilidade de ilusão que uma peça de teatro em espaço convencional pode gerar. Por isso, optei pela ruptura da psicologia dos personagens”. Na prática, significa que os atores se revezarão na atuação dos diversos personagens, cada qual oferecendo sua própria maneira de interpretação, a partir de suas experiências e vivências pessoais.

Seguindo o método do distanciamento proposto pelo dramaturgo e encenador alemão, Javier teve uma preocupação especial com o tratamento vocal dos atores. “Em Brecht, o tom da encenação é dado pela voz”, explica ele. “Utilizo a técnica do pregão, o que também remete a uma prática do universo africano. Na prática, os atores criam um sotaque próprio para os personagens e para as diferentes atmosferas propostas. Estamos nos arriscando, mas está na hora de quebrarmos alguns conceitos. O teatro precisa reencontrar sua raiz popular”, diz.

Um dos elementos a serem ressaltado em “Mãe Coragem” é a trilha sonora, que terá a importante função de ligar as cenas e sustentar o universo simbólico proposto pela encenação. Sob a direção musical de Luiz André da Silva (Prêmio Açorianos de Melhor Trilha Sonora 2005), será executada ao vivo, por todos os atores. A matriz africana se fará novamente presente, com sua riqueza de ritmos e timbres. Foram criados dois climas musicais: a música angolana e a música nordestina sublinham os momentos mais alegres e as canções típicas da religiosidade afro-brasileira pontuam as cenas mais fortes, densas e trágicas. “O que o público irá ver é uma visão afro-brasileira e latino americana do teatro épico. É uma descentralização conceitual deste universo. Outro destaque da encenação será o cenário, sobre o qual o grupo ainda mantém segredo.


As próximas apresentações
12/11 - Esquina Democrática - Andradas – 17h30min
14/11 - Usina do Gasômetro – 17h 30min
20/11 - Quilombo do Ariel – 17h30 min

FICHA TÉCNICA
Mãe Coragem: Livremente inspirado na obra “Mãe Coragem e seus filhos”, de Bertolt Brecht
Dramaturgia: Grupo Caixa-Preta
Elenco: Diego Neimar - Gil Colares - Lucila Clemente - Ravena Dutra - Rielle Dutra - Silvia Duarte - Silvio Ramão
Direção: Javier Moná Lapeira
Direção musical : Luiz André da Silva
Preparação Corporal: Vivian Narvaez
Figurinos e Cenários: O Grupo
Fotos: Kiran Federico León
Assessoria de Imprensa: Silvia Abreu
Patrocinio: Petrobras, Lei de Incentivo à Cultura, Ministério da Cultura
Realização: Cadon – Centro de Apoio ao Desenvolvimento Osvaldo dos Santos Neves - Fundação Cultural Palmares
Produção: Grupo Caixa-Preta
Contatos com o Grupo: (51) 93022833 (Silvia) / (51) 91220222 (Silvio)


Fontes:
1. Gil Colares - gilcolares@gmail.com
2. http://coisasdeteatro.blogspot.com/2010/10/mae-coragem-de-brecht-com-o-grupo-caixa_29.html


Nenhum comentário:

Postar um comentário